O primeiro terremoto...

...a gente nunca esquece!

Sabe aquele papo: o primeiro sutiã a gente nunca esquece?! Pois é, ele se aplica também a terremotos...

Gente, o susto de terça passada foi surreal! Eu tinha acabado de chegar no dermato (depil a laser acabou! woohoo!) e estava em pé em frente a bancada na recepção quando tudo começou a tremer LOUCAMENTE!!! Sabe a chacoalhada que um trem faz no trilho? Ou que de vez em quando você consegue sentir quando está em cima de um bueiro e o metrô passa em baixo? Ou então da turbulência de um avião? Multiplica isso por 10 que você terá a sensação do terremoto de terça passada (Foi 5.9 na escala Richter).

Juro que pelos primeiros 5 segundos eu pensei: "Ai, não! Eu acho que estou começando a desmaiar..." É que eu desmaio (normalmente) uma vez por ano, e a "vez" de 2011 ainda não rolou. E sempre que começo a desmaiar, a primeira coisa que acontece é perder o foco da visão, as imagens começam a ficar embaçadas e a "enrolar." Quem já desmaiou sabe do que estou falando.

Quando percebi que i) ainda estava em pé e ii) as pessoas ao meu redor estavam todas com caras de surpresa e um pouco assustadas, me toquei que não estava tendo um piripaque. Era um terremoto mesmo!!! Isso tudo durou uns 30 segundinhos (ou talvez até uns 20, pois foi bem rápido!). Na recepção do dermato, nada caiu, nem saiu do lugar. Quando passou, todo mundo começou, "Gente, vocês sentiram isso?!""Será que foi um terremoto?" "Que coisa estranha, nem sabia que DC tinha terremoto..."

A gente olhou pela janela e parecia que o prédio inteiro tinha sido evacuado. Todo mundo estava na rua. Na minha tranquilidade/incredulidade/estado de choque (?), pensei, "Ok, terremoto, legal, já passou, sobrevivi, tenho uma história pra contar. Agora, a vida continua, vamos lá porque eu tenho hora marcada e quero terminar essa depilação a laser para voltar pra casa e ver se minha cachorrinha está bem!"

Meia hora depois cheguei em casa. Nada caiu das paredes, meus quadros nem ficaram tortos, e a Poli estava felicíssima latindo pra janela; tudo normal.

Vocês querem saber? Eu achei o máximo ter participado de um terremoto (claro que só acho isso porque ninguém se machucou nem nada foi destruído, OK?) A sensação pós-terremoto foi igualzinha àquela depois de ter andado de montanha russa. Sabe aquela adrenalina e sensação de "Eu fiz isso?! E sobrevivi?! Uau!" (novamente, preciso enfatizar que só pensei isso pois ninguém se machucou. Sei que, em geral, terremoto é algo seríssimo, responsável por uma magnitude de destruição e sofrimento incomparável, e NUNCA acharia isso "divertido.") Porém, como aqui em DC nadinha foi destruído e o máximo que aconteceu foi isso:
e isso:
acho que dá para falar que a experiência foi, no mínimo, interessante. 

Agora posso adicionar esse fenômeno natural à minha listinha de "Já passei por isso" (ainda falta mergulhar com tubarões e pular de bungee-jump, entre outros)

Ah, e para provar que o ditado lá em cima tá correto, o meu era de algodão, lílas clarinho, com umas rendinhas branquinhas bem pequeninas na borda. E você, se lembra do seu?

Labels: