David Burke Primehouse

Até hoje, a pessoa que mais me visitou desde que vim morar nos EUA é o meu tio (bem, depois dos meus pais...) Meus tios foram minhas primeiras visitas em 2000 (acho que não estava nem na 2a semana da faculdade...) E depois, em 2004, ele apareceu em NY novamente. Todas as vezes que ele vem pros EUA, nós marcamos um jantar para colocarmos o papo em dia. 
Mês passado, ele veio a Chicago para o congresso anual da American Association of Orthopedic Surgery, e então, aproveitamos para jantar no David Burke Primehouse, um restaurante estilo steakhouse, famosinho por essas bandas.

O David Burke é um chef americano bem conhecido. Ele é formado pelo Culinary Institute of America e foi aprendiz do Pierre Troisgros (o pai do Claude e avô do Thomas, chefs brasileiros famosos), Georges Blanc e Gaston Lenôtre. Ele foi o primeiro americano a receber o prêmio Meilleurs Ouvriers de France, quando tinha somente 26. 
Ele é conhecido por transformar clássicos americanos, através do seu approach moderno e criativo à culinária americana. Por exemplo, esse é o pãozinho que servem no David Burke Primehouse aqui em Chicago. Esse tipo de pãozinho se chama "popover" e é bem tradicional (a versão americana é inspirada no Yorkshire pudding, e existe desde o século 17). É claro que, a versão modificada pelo David Burkey não é "só" um popover...é um popover de queijo asiago! Perfeitamente crocante por fora e bem aerado por dentro, uma delícia!!! (e um charme, pois é servido dentro de um copo de medida)
Essa foto não é minha. É do site: http://www.browniesandzucchini.com/

Acho que a parte que mais gostei da refeição foi a entrada: carpaccio de bife wagyu (ou seja, carpaccio de kobe!). Uma delícia!!! De desmanchar na boca. As fatias de carne crua eram SUPER finas, e como são servidas em um bloco de sal rosa do Himalaia, fica meio salgadinha. Enfim, derrete na boca! 
Aqui uma foto melhor dessa entrada deliciosa:
Essa foto é do site Beyond Sweet and Savory.

A especialidade da casa é a carne "dry-aged," ou "envelhecimento seco." Pelo que entendi, a carne fica em uma sala refrigerada que é feita inteiramente de sal rosa do Himalaia. O sal absorve a umidade da carne, intensificando o sabor da carne e deixando-a mais tenra. O envelhecimento seco é feito no próprio restaurante, e eles oferecem uma variedade de "tempos de envelhecimento" (de 30 a 75 dias). Apenas dois cortes servem para o envelhecimento, o ribeye (filé da costela) e kansas city strip (que é quase um contrafilé); ambos ainda tem o osso durante o processo de envelhecimento, para garantir que a carne fique suculenta. 

Marido pediu o ribeye envelhecido por 40 dias e eu pedi o Kansas City strip (envelhecido 35 dias), que o garçom disse ser menos gorduroso e mais parecido com filet mignon. Ambos cortes eram bem tenros e a diferença entre os dois era bem sútil. Honestamente, não sentimos muita diferença pela carne ser envelhecida no sal (tá, talvez ela fique um pouquinho mais macia e com um sabor mais "carnudo," tipo carne de caça...) 
De acompanhamento, pedimos couves de bruxelas e butternut squash (um tipo de abóbora que AMO!) Infelizmente, achei os dois acompanhamentos bem fracos...as couves de bruxelas estavam BEM amargas e a abóbora estava meio dura, como se não tivesse sido cozida o suficiente :( 

De sobremesa, pedimos um "baked Alaska," uma sobremesa feita de sorvete, em cima de um bolo esponja, completamente coberto de merengue flambado. Só que é claro, o baked Alaska do David Burke tem um je ne sais quoi a mais, feito com sorvete de coco, ganache de maracujá, e caramelo de rum :)

Agora, a sobremesa mais famosa (e característica) do David Burke é "cheesecake lollipops" (ou pirulitos de cheesecake). Um amigo do meu tio pediu essa sobremesa e é claro, tive que fotografar e experimentar. Vem uns nove "pirulitos de cheesecake," sendo que são três sabores diferentes:



No final das contas, achei a refeição uma delícia, apesar dos acompanhamentos estarem mais ou menos. Ah, o David Burke tem vários restaurantes espalhados nos EUA (quatro em Nova York, um em Vegas,  e um Primehouse em Connecticut). Como o restaurante não é baratinho (nenhuma steakhouse americana é...), recomendo para ocasiões especiais :) 

Labels: , ,