Ela não nega suas origens

(Quem me acompanha no Facebook, viu essa cena semana passada...)

Para quem não sabe, a Poliarquia, cachorrinha mais fofa desse mundo, é, na verdade, uma VIRA LATA da melhor qualidade! Os cães com pedigree (inclusive minhas queridas Joy e Julie) que me perdoem, mas vira-lata é o que há de bom no mundo canino. Já tive duas cachorrinhas de pedigree e dois vira-latas (saudades do Jake, melhor cão de todos os tempos), e os vira-latas são muito mais "únicos" (e bem mais saudáveis).

Apesar dessa fofura toda e do tratamento de lady (afinal, Poly é viajada, come comidinha especial, e até frequentava salão de beleza de celebrity-dog), minha cachorrinha não nega suas origens de vira-lata.

Há algumas semanas, cheguei em casa depois de 30 minutos no supermercado e me deparei com essa cena:
Esses negócios brancos são, na verdade, pedaços do saco de lixo que ficam na "borda" da lata, que minha cachorrinha lindinha conseguiu puxar, arrancar e espalhar em mil pedacinhos pelo meu apê...

Ainda bem que tive um momento iluminado quando fui comprar a lata de lixo há 3 anos e comprei uma com trava "de criança" ("child-safety lock"), por que imagina o estrago que ela faria se desse para abrir a lata?! (coisa que, por sinal, ela fez no início do verão no nosso apê de Evanston...e que nos levou a investir numa lata de lixo que, de tão cara, deu até pena de colocar lixo dentro)

Só não consigo entender como uma cachorrinha de 6 quilos conseguiu derrubar uma lata de lixo CHEIA (e pesada pra caramba, diga-se de passagem...)

Foi só chegar em casa, olhar para ela, que ela foi logo pra casinha dela com essa cara de culpa. 
Não dá para aguentar...

Aí, uns 5 dias depois, em Evanston, depois de um date night super gostoso no cineminha (assistimos Hitchcock. Recomendo!), ao chegarmos em casa, marido e eu nos deparamos com esta cena fantástica (só que não!):

110% nostra culpa 
(ou a versão correta do plural de "mea culpa"...)

Depois da festinha de Natal, o lixo com trava estava lotado e acabamos enchendo mais uma sacola de lixo. Demos um nózinho e a deixamos em cima da lata de lixo, que é relativamente alta e supostamente, fora do alcance da Poly. Quando saimos de casa, no embalo de sábado a noite, é claro que esquecemos de tirar o lixo e levar a sacola lá pra baixo...

Resumindo: cachorrinha sacana esperta puxou a sacola e o resultado foi esta cena agradabilíssima a meia noite de sábado. A pior parte é que ela sabe que fez M****, pois assim que chegamos em casa, olha só aonde ela se meteu:
Sim, ela se enfiou embaixo da árvore de Natal...ótimo esconderijo!

E depois de limpar toda a M**** que ela fez, lavar o rosto e as patinhas dela, ainda passei o resto da noite preocupadíssima, convencida que minha cadelinha teria um piripaque, e dormi mega mal (porque nessas horas, é impossível não jogar no Google "my dog ate trash" e ficar pensando em todas as tragédias que podem acontecer...) Ainda bem que ela não teve nada, nem sequer vomitou! (Viu, mais um motivo para amar vira-latas: eles têm um estômago de avestruz!)

Ou seja, lição #1: É MUITO importante ter uma lata de lixo com trava de segurança. Lição #2: NUNCA deixe uma sacola de lixo em casa, mesmo se você achar que está longe do alcance canino (porque quanto mais inocente for a carinha do seu cachorrinho, mais sacana e esperto ele é...) Lição #3: As vezes, Google is NOT your friend.

---------------------------

Ah, para os mais curiosos, a Poly é mistura de yorkie com maltês, uma dessas "raças" novas/híbridas. Aqui chamam de "morkie," mas eu prefiro rejeitar essa palhaçada toda e falo com orgulho que minha cachorrinha linda é uma vira-lata mesmo! :)

Labels: , , ,